(34) 3338-5456     contato@endoscopiammarcal.com.br         
 
Dicas

O que é a Doença do Refluxo Gastroesofágico?

O Refluxo Gastroesofágico (RGE) consiste no retorno do conteúdo gástrico (gazes, líquidos ou sólidos) para o esôfago, com ou sem sintomas. Ele pode ocorrer em alguns momentos do dia sem que isto signifique doença, principalmente no período após as refeições e em recém-nascidos. 

É uma doença muito comum e hoje é um dos motivos mais frequentes que levam o paciente ao consultório do gastroenterologista. No Brasil, uma estudo demonstrou que 11,9% dos entrevistados apresentam sintomas típicos de refluxo pelo menos uma vez por semana. Pode ocorrer  tanto em adultos quanto em crianças. Por ser  uma doença crônica, limita muito a qualidade de vida, podendo interferir,  inclusive, nas atividades diárias do indivíduo.

Qual é a causa do refluxo?

Existe uma válvula localizada entre o estômago e o esôfago, chamada de esfíncter inferior do esôfago, que tem a função de impedir o retorno dos alimentos. Ao perder a pressão ou se relaxar em momentos que deveria estar fechado, permite que o conteúdo gástrico retorne e agrida a mucosa do esôfago, causando lesões e sintomas.  

O que você sente se estiver com DRGE?

Os sintomas mais comuns (típicos) são azia (sensação de queimação na região do estõmago) que pode subir para o tórax (pirose) e ser acompanhado de retorno de alimento em pequena quantidade até a garganta (regurgitação) ou em grande quantidade (vômitos ).

Mas o refluxo também pode se manifestar com sintomas atípicos e extra-esofágicos como tosse crônica, rouquidão, pigarro (hábito de raspar a garganta), globus (sensação de bola na região do pescoço), dor no peito (tipo angina, mas de origem não cardíaca), asma, além de outras doenças como por exemplo, infecções de vias aéreas de repetição (sinusite crônica).

Além disso, em crianças pode causar pneumonias de repetição, baixo crescimento, baixo ganho de peso e sono agitado.

Como é feito o diagnóstico da DRGE?

O diagnóstico deve ser feito pelo seu médico, que vai se basear nos seus sintomas e nos achados de exames complementares, como por exemplo, Endoscopia Digestiva Alta, Manometria e pH-metria, entre outros que ele achar necessário.

Como é feito o tratamento?

O tratamento vai depender de vários fatores como a idade do paciente, a gravidade dos sintomas e das lesões esofágicas e da melhora dos sintomas com a medicação prescrita.

Existem as opções de tratamento com medicamentos ou através de cirurgia e cada caso deve ser criteriosamente avaliado para decidir qual é o mais adequado para  cada paciente.

Há restrições alimentares?

Sim. Em geral, alimentos que deixam a válvula (esfíncter) relaxada piroam o refluxo. Entre eles estão os alimentos gordurosos (frituras, bacon), bebidas gasosas (a´gua gaseificada, refrigerantes), bebidas alcóolicas, além de excesso de doces, massas e condimentos como alho, cebola e derivados da cafeína (chá, café).

Deve-se também evitar líquidos 2hs antes e após as refeições principais (almoço e janta).  

Se o paciente estiver acima do peso também é aconselhado perda de peso, já que a obesidade está intimamente relacionada com a piora do refluxo.

Mais dicas?

Evite deitar por 2 a 3 horas após as refeições.

Coma mais vezes ao dia e em pequenas porções (dieta fracionada).

Enfim, a dieta do refluxo é a dieta do bom senso, equilibrada, saudável e sem excessos.

A DRGE tem cura?

A DRGE é uma doença crônica, ou seja, há a possibilidade de controlar a doença, cicatrizando as lesões esofágicas e deixando o paciente sem sintomas, mas não podemos afirmar que nunca mais o paciente voltará a apresentar sintomas (recidiva).  Mesmo sem sintomas, além de continuar o tratamento, é recomendável retornar ao médico periodicamente. Isto é importante para se evitar complicações como estenoses (estreitamentos do esôfago), úlceras, sangramento e inflamação crônica.

Somente seu médico poderá reduzir a dose do seu medicamento ou encaminhá-lo para cirurgia. Em algumas situações pode ser necessário fazer terapia de manutenção por toda a vida. mas felizmente os medicamentos atuais são muito bem tolerados e seguros.




Fale Conosco
 Laudos on-line